terça-feira, 22 de março de 2011

Larga-me lá!


Quero deixar de ter frio
Este frio que m'esgana
M’ engana
Me tolhe os movimentos
Na cama
Na mesma cama onde me deito
E m’encolho
Num caminho curto
Tão curto quanto
O espaço onde adormeço

Deixa-me entrar no teu sono
Leva-me contigo
E larga-me lá
Num sítio isolado
Onde os lençóis
São pétalas perfumadas
A cobrir-me o corpo
E a afagar-me a alma

Larga-me lá!

2 comentários:

. disse...

Larga-me junto a ti para que me reencontre em teus braços

Belíssimo.

Bjo.

Mª Dolores Marques disse...

Meu querido Poeta, há dias em que apetece ir...

Beijo