sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Um Gosto

(ISIS - Deusa Egípcia)
*

Não me apetece saber
O fundo das coisas
Gosto assim
Quando mas dizes
A viva voz
*
Gosto de ti
Pelo que me és
Mas preciso
Saber-te mais
Nos sons
Nos cheiros
Nas urzes
Nos medalhões de sol
A regenerar
As encostas da serra
Nas novas flores
Do alecrim do monte
Na minha e sempre
Altivez descomunal
Que desce sobre ti
Devagar
A saber-te no infinito
Onde se esconde
A tua vontade
De me seres
Uma
E outra vez

2 comentários:

Porta-Sonhos disse...

"A tua vontade
De me seres
Uma
E outra vez"

Belas são as palavras quando ecoam.

Excelente e encantado, teu poema.

Bjo.

Runa disse...

"Um gosto", sem dúvida, a leitura das tuas palavras...

Bjs