sexta-feira, 6 de março de 2009

Morri Para Ti

Machuco-me por dentro só de nos imaginar
Um mundo ainda por nascer
E pensar que podia eu levar-te a ver as estrelas
Focaram-se na lua na noite finda
E viram-te a sondar um sonho na alvorada

Na lua, há restos de sol caídos no chão
Inundam as crateras que dormem sobre a noite fechada
Os teus ideais soltaram-se nas fragas soltas
E aconchegaram-se no pó que fareja o vento
Mas ele foi-se num suspiro

E eu fiquei ás voltas com o tempo em que via os rios
Os mares tenebrosos caiam-me sobre os ombros
E eu deitava-me e dormia

Dormia tanto...mas acordava nas madrugadas
Os meus olhos secos e as lágrimas caídas
Rolavam pelo chão
Já me afogavam o leito
E num espanto eu dormia...dormia

Mas tu não vês o que o sono me traz
E choras lágrimas que se prostram aos pés do vento
E o vento rasgou as vestes que trazia
E tu ficaste só ao relento

Que há a haver....a não ser esperar por mim
As marés calmas abalroam-me sempre nas tristes madrugadas

Não vês que não nasci para ser
Nus versos...
Que se curvam ao vento que passa?
Eu sou o que desejas na lonjura dos teus caminhos
A tua busca interminável

Mas já morri para ti
E não me queiras germinar de novo
Quero renascer num poema só
Que me leve...
****************************

5 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Que poema maravilhoso, dá para sentir o que se passa em tua alma, transparente, lúcida e muito, muito terna...uma terna determinação. Lindo mesmo, amei.
beijos

Maysha disse...

Lindissimo poema Dolores, gostei imenso.
Beijo
Isa

ellen disse...

Lindo poema! Aliás, todos os que já tive oportunidade de ler são muito expressivos :)
Parabéns.

Um Beijinho

Tem um Bouquet de Flores para si,
no meu Blog :)

ellen disse...

Traga o Bouquet de Rosas consigo Mª Dolores! São para si :))

angel disse...

Muito bonito teus poemas e falas com a sensibilidade de uma alma que acima de tudo sabe o que é viver e sofrer e amar.
Beijo
Angel